12 3042-2002
Acompanhe-nos nas redes sociais:
12 3042-2002
Como chegar

Notícias



por página
Exibir:


30/09/2021
Primeiro modelo totalmente elétrico da Volvo Cars chega ao Brasil
A eletrificação é um fato consumado na indústria automotiva mundial – a partir de 2030, alguns países da Europa terão a produção de carros a combustão proibida. No Brasil, embora com certo atraso, a pauta está ganhando relevância. De acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), os 13.899 automóveis e comerciais leves eletrificados emplacados de janeiro a junho de 2021 representam 1,4% do total de 1.006.685 veículos comercializados no mercado interno no primeiro semestre, incluindo híbridos (HEV), com 8.065 unidades, híbridos plug-in (PHEV), com 5.102 unidades, e elétricos 100% a bateria (BEV), com 732 unidades. Contudo, em julho, os eletrificados já atingiram um “market share” de 2,2%. Desde maio deste ano, a Volvo se tornou a primeira marca de automóveis a comercializar somente modelos eletrificados no Brasil. O portfólio da fabricante sueca conta com cinco híbridos plug-in: os sedãs S60 e S90 e os utilitários esportivos XC90, XC60 e XC40. Agora, desembarca o primeiro automóvel Volvo 100% elétrico a estrear mundialmente, o XC40 Recharge Pure Electric. Apresentado mundialmente em outubro do ano passado, nos Estados Unidos. As trezentas unidades disponibilizadas para a pré-venda há quatro meses foram comercializadas em apenas vinte dias e mais cento e cinquenta foram importadas. Pelos volumes iniciais, a liderança nacional entre os automóveis 100% elétricos parece uma questão de (pouco) tempo. O XC40 Recharge Pure Electric tem dois motores P8 AWD, um posicionado em cada eixo. Combinados, geram 413 cavalos de potência e 67,3 kgfm de torque. Segundo a Volvo, a bateria de 78 kWh, distribuída no assoalho, oferece um alcance de mais de quatrocentos quilômetros com uma única carga – pode ser carregado em uma tomada convencional ou por meio de Wallbox. Com um sistema de carregamento rápido, a bateria recupera até 80% de sua capacidade em quarenta minutos. Em termos de performance, o SUV elétrico oferece aceleração de zero a 100 km/h em apenas 4,9 segundos – a partir da linha 2021, a velocidade máxima de todo Volvo é limitada eletronicamente em 180 km/h. Enquanto na versão híbrida do XC40 a tração é apenas frontal, na Pure Electric, é integral. Em termos estilísticos, as diferenças em relação à versão híbrida do XC40 se limitam à grade frontal. Como as necessidades de refrigeração são menores, no XC40 Recharge Pure Electric, a tradicional grade preta dá lugar a uma placa sem buracos na cor da carroceria, que cumpre a função de abrigar a indefectível faixa diagonal cromada ostentando o logo da Volvo. De resto, é praticamente o mesmo “shape” do XC40 apresentado em 2018. Na frente, a luz diurna, posicionada dentro dos faróis, tem desenho em formato de “T” – o marketing da Volvo apelidou o desenho de “Martelo de Thor”, que tornou-se onipresente nos modelos da marca. Os faróis “full-led” contam com função anti-ofuscante (AHB), com o auxiliar de neblina também em leds. Os retrovisores são eletricamente rebatíveis e as rodas de alumínio são de 20 polegadas. Nas colunas traseiras, destaca-se a inscrição “Recharge”. Atrás, as lanternas verticalizadas de leds têm formato de bumerangue e são interligadas pelo aerofólio preto. Por dentro, o painel de 12,3 polegadas está integrado com a central multimídia com tela de 9 polegadas sensível ao toque. Detalhes de acabamento em Cutting Edge Aluminium conferem um aspecto “techno” ao ambiente. Há soluções de armazenamento para vários gêneros de objetos, incluindo um compartimento frontal com o carregamento por indução para celulares. Com a retirada da motorização convencional, foi criado um nicho frontal de trinta e um litros, que serve para levar pequenos volumes. Já o porta-malas tem capacidade para 413 litros – a tampa do bagageiro tem abertura e fechamento elétrico com função “hands-free”. Um dos destaques do XC40 Pure Eletric é o One Pedal Drive, um recurso similar ao apresentado pelo Nissan Leaf (no qual é chamado de ePedal) e adotado em outros veículos elétricos. Ao ser acionada, a tecnologia permite que a aceleração e a frenagem sejam feitas utilizando um único pedal. Tal funcionalidade amplia a regeneração de energia e a autonomia. Outro atrativo tecnológico do XC40 Pure Eletric é totalmente original: o sistema de infoentretenimento com sistema operacional Google Automotive Services, que integra o carro aos recursos da Google. O sistema usa o reconhecimento de voz com o Google Assistente para oferecer uma interação “mãos livres” ao motorista enquanto dirige, além de dar acesso aos aplicativos disponíveis via Google Play, como o Google Maps. Em termos de assistências à condução, o XC40 Pure Eletric oferece a “câmera 360 graus” que, junto ao alerta de tráfego lateral e a frenagem automática, ajuda a evitar colisões em saídas e entradas de vagas de estacionamento. O elétrico da Volvo vem com sistema de alerta de mudança de faixa e aviso de ponto cego. O City Safety reconhece pedestres, ciclistas e animais de grande porte e pode frear e até esterçar o volante para evitar ou reduzir as consequências de uma colisão. O veículo traz ainda sensores e câmeras de monitoramento das faixas das vias e um sistema que comanda a aceleração e a frenagem em relação ao carro da frente. Há também o Volvo On Call, um serviço de segurança, proteção e conveniência já oferecido em outros modelos da marca e que presta assistência vinte e quatro horas e auxílio de emergência. O XC40 Recharge Pure Electric tem dois motores P8 AWD, um posicionado em cada eixo. Combinados, geram 413 cavalos de potência e 67,3 kgfm de torque. Fonte: Diário do Litoral
Ler mais
30/08/2021
Volvo XC40 Inscription, híbrido, faz até 24,5 km/l
Dia de acelerar e conhecer a linha 2022 do Volvo XC40, o SUV de entrada da marca sueca aqui no Brasil e que agora só oferece versões híbridas em território nacional. O XC40 foi o carro mais vendido pela empresa no primeiro semestre deste ano e a configuração que escolhemos para testar foi justamente a mais emplacada, a Inscription T5 Recharge Plug-in Hybrid. O carro vem completinho, consegue rodar em modo semi-autônomo, tem bom espaço interno e porta-malas, é muito bem acabado por dentro e ainda tem a capacidade de fazer surreais 24,5 km/l de gasolina na cidade. Venha comigo nesta resenha que vou te mostrar mais detalhes sobre o híbrido da marca sueca. Como é o Volvo XC40 Inscription O desenho do carro já é conhecido há alguns anos, mas não temos como deixar de enaltecer a beleza do design desse SUV. Com frente invocada, jeitão imponente e porte agressivo, apesar de ser um SUV compacto, o XC40 é a porta de entrada para o mundo dos carros suecos. Essa versão é, na linha 2022, a do meio. Abaixo temos a Inscription Express, a antiga Momentum. Acima temos a R Design, e depois só a 100% elétrica, que também tem o sobrenome Recharge, mas é chamada pela turma nórdica de "Pure Electric". Dentro, muito luxo Na parte de dentro, todo o luxo e sofisticação que vemos em carros alemães dessa categoria. Tem até acabamento de madeira, chamado pela Volvo de Driftwood, nos painéis das portas, na parte principal do painel e espalhado por outras partes da cabine. Mas o grande charme é a manopla do câmbio feita de cristal, pela grife Orrefors, que é ainda mais bonita quando vista à noite. Outra coisa muito boa na cabine é a central multimídia de 9 polegadas na vertical, algo que temos visto se tornar cada vez mais comum em modelos de outras marcas, mas que de fato começou com os carros da Volvo - pelo menos aqui no Brasil. No XC40, a central resume tudo em quatro importantes pilares: o GPS no primeiro; o sistema de som no segundo slot, que pode mostrar os comandos do rádio ou de conexões via Bluetooth ou cabo USB; as informações sobre o telefone conectado no terceiro espaço e os dados de consumo de sua viagem ou informações personalizadas pelo motorista no último. Já os controles do ar-condicionado e funções adicionais ficam nos contornos dessa tela, de forma realmente fácil de entender, como se fosse um tablet. Há possibilidade de se usar CarPlay e Android Auto, mas em carros da Volvo, hoje em dia, somente por cabo. Também há outra tela digital no painel, que fica atrás do volante, tem 12,3 polegadas e ainda oferece a opção de ser personalizável. Completaço Em termos de equipamentos, o XC40 Inscription vem de série com carregador de celular sem fio; duas entradas USB para recarga e conexão de dados com a central; duas USB-C nos bancos traseiros; ar-condicionado de duas zonas; direção elétrica; vidros e travas elétricos e diversos porta-objetos pela cabine. Outro barato é o fato de não ter caixa de som nas portas, o que amplia o espaço para levar garrafas maiores. O teto solar panorâmico e o sistema Volvo On Call são outros recursos que completam a lista e fazem do modelo um competidor ainda mais forte dentro desse segmento. Já no quesito segurança, o carro vem com alerta de colisão traseira, sistema de alerta de ponto cego; chave inteligente programável; faróis full-LED com regulador do facho e sistema inteligente anti-ofuscamento e rodas de alumínio aro 19"; além dos quase obrigatórios controles eletrônicos de tração e estabilidade; freio de estacionamento por botão; sensor de estacionamento dianteiro e traseiro por câmera; sensor de chuva e crepuscular; sistema de monitoramento da pressão dos pneus; assistente de descidas e subidas incorporado ao assistente de partidas em rampa e abertura e fechamento elétricos do porta-malas. Anda sozinho Quem completa a farta lista de equipamentos mencionada acima é o sistema que a marca chama de Pilot Assist, que era oferecido como opcional há alguns anos e hoje faz parte do pacote de série de todos os modelos da empresa no Brasil. Assim como em alguns outros modelos do segmento de luxo, também de outras fabricantes, você aperta um botão que dá ao carro a possibilidade de "assumir o comando". Combinado ao controle de cruzeiro adaptativo, que também faz parte do pacote, o XC40 identifica a faixa onde está e o carro à frente, por meio de sensores, câmeras e radares, para ativar o sistema semi-autonômo. Na prática, o carro faz curva, freia, acelera e retoma velocidades a partir do zero sem que sejam necessárias ações do motorista. A única coisa que precisa ser feita é colocar as mãos no volante a cada 10 s para avisar o sistema que o motorista está acordado. Em um futuro não muito distante, encostar as mãos não vai mais ser preciso e poderemos dizer que o carro anda sozinho sem a nossa intervenção. Consumo de outro mundo Você pode não acreditar, mas o XC40 híbrido consegue fazer até 24,5 km/l na cidade e 22,3 km/l na estrada, graças justamente ao sistema híbrido que faz parte de seu conjunto mecânico. Começamos a parte técnica pelo consumo porque impressiona ver que um SUV como esse consegue rodar até 1.200 quilômetros na cidade com apenas um tanque, graças à capacidade de 49 litros. O responsável por números tão surreais é a combinação de um motor 1.5 de três cilindros, turbo, com injeção direta, que rende 180 cv e 27 kgf.m de torque, com um elétrico, dianteiro, de 82 cv e 16,3 kgf.m - o sobrenome T5 vem justamente dessa especificação. Juntos, rendem 262 cv e 43,3 kgf.m de torque. Isso também significa que os números de desempenho do carro são ótimos: 0 a 100 km/h em 7,3 segundos, velocidade máxima de 180 km/h e capacidade de rodar até 47 km só no modo elétrico. Isso pode ser traduzido da seguinte maneira: se você roda suave, não percorre mais de 30 quilômetros por dia e ainda consegue deixar o carro na tomada em casa, é possível ficar meses sem reabastecer. Outro fator que influencia nos ótimos números é o excelente câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem, que oferece trocas ligeiras de acordo com o modo de condução. São cinco deles: "Hybrid", para uso cotidiano; "Pure", 100% elétrico; "Power", para tocada mais esportiva; "Off-road" para uso fora-de-estrada, embora a tração seja dianteira; e "Individual", que permite ao motorista escolher seus estilo de condução. Espaço interno e porta-malas O espaço traseiro pode ser comparado ao de um sedã médio, que tem o mesmo entre-eixos de 2,70 m, com a diferença de que em um SUV você tem mais espaço para a cabeça devido ao desenho mais alto e robusto. Mesmo com o banco da frente posicionado para quem tem 1,80 m, fiquei confortável no espaço traseiro. O único detalhe é que, como o XC40 tem uma bateria que fornece energia ao motor elétrico, que é dianteiro, o espaço para as pernas de quem vai no meio fica comprometido, já que o túnel central é bem alto. É por isso que preferimos dizer que no espaço traseiro cabem duas pessoas adultas com conforto ou três crianças. Pelo menos há saídas de ar, duas entradas USB-C para carregar eletroeletrônicos e até um descansa-braço central. O porta-malas também é muito bom para a categoria, com 460 litros de capacidade. Conclusão O Volvo XC40 Inscription é o que tem o melhor custo-benefício e quer se tornar sua porta de entrada ao mundo de híbridos da Volvo, que há algum tempo decidiu vender somente carros eletrificados no Brasil. O SUV é completo, bem acabado, luxuoso, anda muito e bebe (bem) menos que muito carro 1.0 popular. Tem todos os requisitos para entrar na garagem de quem busca um utilitário compacto do segmento premium e pensa em fugir dos tradicionais carros alemães. Se ele for a sua escolha, dê adeus ao seu amigo frentista e curta os momentos de descanso na hora do trânsito. Fonte: Webmotors
Ler mais
30/07/2021
Volvo revela futuro elétrico, seguro e conectado
Em uma live de quase três horas, a Volvo revelou um pouco sobre como enxerga o futuro do automóvel. Segundo a marca, eletrificação é mais que uma mudança no conjunto de força, mas um paradigma no design de seus veículos - e o protótipo Concept Recharge é exatamente a prévia da próxima geração de carros elétricos, seguros e conectados da empresa. "O Concept Recharge representa o manifesto para o futuro totalmente elétrico da Volvo, bem como um novo tipo de veículo”, disse Robin Page, chefe de design do Grupo Volvo Car. "Ele tem proporções novas e modernas que vão de mãos dadas com maior versatilidade e mostra o que a tecnologia pode possibilitar em termos de design", complementou o executivo. Como é o Volvo Concept Recharge Fiel à herança do design escandinavo, representado principalmente pelos faróis com formato de um "T" deitado, conhecido como o "martelo de Thor", o Concept Recharge, é um estudo de carro 100% elétrico sem motor a combustão que evoluiu a ponto de ter grandes proporções internas e excelente nível de eficiência aerodinâmica. O resultado, como se vê, é uma carroceria com soluções que apoiam uma vida familiar sustentável. A primeira geração de carros elétricos da Volvo vai compartilhar plataforma com os atuais modelos híbridos, movidos por motores a combustão e elétricos, e isso requer um equilíbrio em proporções e espaço para poder justamente acomodar uma bateria e o próprio motor de combustão interna. Mas alguns pontos devem mudar na próxima geração de carros elétricos da Volvo - o primeiro SUV totalmente pensado para ser elétrico da empresa vai usar uma base de tecnologia exclusiva e completamente nova, com pisos planos, conforme previsto no Concept Recharge. Sem motor, mais espaço Ao remover o motor e substituí-lo por uma bateria completa sob o piso, os designers aumentaram a distância entre-eixos e também puderam fazer crescer o tamanho das rodas do carro. Os resultados são saliências mais curtas, bem como muito mais espaço interno, que inclui uma grande área de armazenamento entre os bancos dianteiros. No Concept Recharge, esses avanços levaram os designers a reposicionar os assentos, otimizar o perfil do teto e abaixar o capô do carro, mas é mantido o ponto de vista elevado de SUV, tão querido de motoristas de carros como XC40, XC60 e XC90. Essa abordagem também cria ganhos de eficiência na aerodinâmica em comparação com um utilitário, o que melhora o alcance. Design conectado Este conceito também apresenta uma nova linguagem de design. A grade tradicional foi substituída por uma estrutura semelhante a um escudo, apoiada por "uma nova interpretação" do design do "martelo de Thor". Luzes traseiras verticais exclusivas conectam-se à forte herança de design da marca, mas foram reinventadas e modernizadas. Na parte de dentro, além de mais espaço e de uma melhor posição do assento para todos que estão na cabine, uma grande tela sensível ao toque de 15 polegadas é o centro de uma nova e aprimorada experiência do usuário para o sistema multimídia de próxima geração da empresa. Projetada para ser lógica e intuitiva, a mais recente tecnologia de entretenimento da Volvo anda de mãos dadas com outras marcas do design da empresa: linhas limpas e uso extensivo de materiais sustentáveis ??e naturais dentro da cabine. "Dentro do Concept Recharge, criamos uma sensação de sala de estar verdadeiramente escandinava", destaca Robin Page. Seguro O Concept Recharge, obviamente, também reflete as ambições de segurança da Volvo nos próximos anos. Um sensor chamado LiDAR, construído pela empresa de tecnologia Luminar, é colocado no teto para coletar dados sobre o ambiente ao redor do carro. "O conceito representa tudo o que acreditamos que os clientes esperam de um Volvo elétrico puro, e estamos entusiasmados em levar essa filosofia para a nossa próxima geração de carros", finalizou o executivo. Volvo trabalha em novas baterias Disposta a "rapidamente se tornar uma empresa de carros totalmente elétricos", a Volvo também confirmou que desenvolve tecnologia de células de bateria - a fim de proporcionar aos seus clientes o que todo fabricante de elétrico deseja: alcance mais longo e tempos de carregamento mais rápidos. A marca promete melhorar a tecnologia de íons de lítio em sua próxima geração. E prevê começar pelo primeiro SUV da empresa feito sobre a base de tecnologia exclusivamente elétrica que deve estrear no ano que vem. Já em meados da década, quando estiver na terceira geração de elétricos, a Volvo planeja aprimorar ainda mais a autonomia e integrar a bateria ao piso do carro, momento em que usará a estrutura da célula para melhorar a eficiência. No curto prazo, a Volvo também planeja trabalhar com a Northvolt, empresa sueca líder de baterias, para aumentar ainda mais a densidade de energia em suas células de bateria. A ideia é dobrar alguns itens de eficiência em relação ao que se encontra no mercado atualmente -  a autonomia máxima que vemos hoje é algo perto dos 500 quilômetros, mas a Volvo Cars pretende atingir 1000 km. Espera-se que o tempo de carregamento seja reduzido quase pela metade também, graças à melhor tecnologia de bateria e avanços contínuos no software e na tecnologia de carregamento rápido. Limpa e sustentável Embora a empresa vá aumentar a energia da bateria de seus carros, também promete trabalhar para reduzir continuamente o impacto do carbono. As células de bateria da colaboração planejada da Volvo com a Northvolt visam ser produzidas com utilização de energia 100% renovável, enquanto trabalha com outros fornecedores de bateria para fazer o mesmo até 2025. Sempre que possível, as baterias que atingirem o fim de vida útil serão recicladas em empresas autorizadas que são capazes de oferecer o serviço de ciclo fechado de materiais essenciais para uso em baterias futuras. A parceria planejada da Volvo com a Northvolt também aumenta a possibilidade de utilizar as operações de reciclagem da empresa conterrânea. Como funciona essa parceria com a Northvolt?  No início deste mês, a Volvo anunciou a colaboração com a Northvolt para desenvolver e produzir baterias sustentáveis. Elas serão adaptadas para alimentar a próxima geração de carros elétricos da Volvo e da Polestar e garantir suprimento futuro de baterias sustentáveis ??necessárias para apoiar o crescimento. A colaboração com a empresa é fundamental para a ambição da Volvo de ser líder no segmento de carros elétricos premium e vender apenas elétricos até 2030. Também representa um passo importante na expansão de suas capacidades internas de produção, bem como desenvolvimento, aliado a parcerias com as líderes em tecnologia. Fonte: Webmotors
Ler mais
30/06/2021
Teste: Novo Volvo XC40 elétrico mostra por que é o SUV mais importante da marca
Fabricante sueca vai abolir carros a combustão no Brasil — e no mundo — para focar em veículos elétricos e o utilitário é o primeiro dessa ousada fase. 2030. Como e onde você imagina estar daqui a dez anos (ou nove)? Não. Isso aqui não é uma entrevista de emprego — ou sessão de terapia. Mas a Volvo tem a resposta para essa pergunta clichê ensaiada e na ponta da língua. Essa data é de extrema importância para a marca sueca. E mais: é uma contagem regressiva. Em “apenas” nove anos a fabricante vai virar a chave e abandonar carros a combustão — inclusive híbridos — para direcionar todos seus esforços em veículos elétricos. Outros fabricantes também já anunciaram planos parecidos, mas a Volvo será uma das primeiras a realmente fazer. A diretriz global é audaciosa e contempla o Brasil. Sem tempo a perder, a subsidiária nacional já começa esse processo com o inédito XC40 Recharge Pure Electric. Com o XC40 elétrico, a marca também cumpre outro objetivo: a partir de agora só modelos eletrificados (híbridos ou elétricos) serão vendidos no mercado brasileiro. Não tem para onde fugir... Apresentado mundialmente no final de 2019, o primeiro carro elétrico da Volvo estrearia por aqui no início deste ano. Mas a pandemia atrasou os planos. A pré-venda do SUV esgotou rapidamente as 150 unidades. As primeiras unidades chegam em setembro e cerca de mais 150 exemplares devem vir até o final do ano – totalizando 300 carros em 2021. Rodamos por uma semana com o XC40 elétrico pelas ruas de São Paulo e gostamos bastante da breve experiência, mas ela traz alguns desafios. O primeiro foi fácil e resolvido em alguns minutos: ligar o carro. Não há botão de partida ou qualquer outra forma de ignição. A chave presencial no interior do veículo, pé no freio e o câmbio na posição “D” é a combinação para a palavra “Ready” surgir no painel de instrumentos digital e o SUV ficar pronto para iniciar a jornada silenciosa. O segundo demanda alguns quilômetros para você se acostumar. É o chamado “One Pedal Drive”, ou dirigir usando apenas um pedal. A tecnologia é famosa entre os elétricos em que se usa apenas o acelerador para condução. Isso porque, quando você alivia o pé, o inversor do motor elétrico atua para frear o carro — muitas vezes sem a necessidade de encostar no pedal de freio —, especialmente em baixas velocidades. Essa energia despendida volta direto para as baterias e ajuda (pouco) na recarga. No XC40 essa espécie de freio motor atua de modo contundente e não há como modular a intensidade como em outros elétricos. No para e anda do trânsito urbano, leva um tempinho para o motorista se habituar, pois a redução de velocidade é significativa e brusca — e o vaivém do corpo, inevitável. Vale ter um remédio para enjoo a postos... Se você não conseguir se adaptar, é só desativar a tecnologia facilmente pela central que o SUV volta a ter uma tocada de carro automático convencional. Detalhes superados, era hora de sentir todo o torque instantâneo que só carros elétricos oferecem. No XC40 são nada menos que 67,3 kgfm. Partindo da inércia, a “patada” inicial, claro, não é a mesma do Porsche Taycan, mas há uma branda sensação de vertigem. O velocímetro digital sobe rapidamente e a aceleração do SUV (que pesa quase 2,2 toneladas) é digna de esportivos. Em nosso teste, o 0 a 100 km/h levou 4,7 segundos(!) — 0,2 s a menos que o número de fábrica e 0,1 s mais rápido que o Mustang e seu V8 5.0 de 466 cv. Para alcançar esse desempenho, o Volvo usa o trem de força chamado P8. São dois motores elétricos, um em cada eixo, que ainda fornecem 300 kW ou 413 cv de potência. A tração é integral. A retomada é outro ponto fortíssimo por causa do torque instantâneo: 1,7 s para ir de 40 a 80 km/h, 2,2 s de 60 a 100 km/h e 2,7 s de 80 a 120 km/h. Ou seja, sem problemas para sair daquela enrascada no trânsito ou fazer uma ultrapassagem na estrada. A velocidade máxima é limitada a 180 km/h, como em qualquer Volvo no mundo. Tal medida, entre outras, faz parte do plano de zerar acidentes fatais com seus carros. O SUV ainda impressiona na frenagem, principalmente de 60 a 0 km/h, o que é feito em ótimos 13,9 metros. Saindo da pista e voltando para a vida real, o XC40 elétrico continua com o rodar sólido da variante híbrida e da ótima plataforma CMA, porém com um acerto mais amigável, de filtrar melhor os buracos (apesar das rodas de 20 polegadas) e não repassá-los tanto das ruas para o interior. A direção também se mostrou um pouco mais assertiva, com mais peso e uma sensação maior de controle do carro por parte de quem dirige em relação ao XC40 híbrido. Mas... e a autonomia? Bom, essa é a grande questão dos elétricos, o recarregamento. O XC40 Pure Electric consegue rodar até 418 km, segundo a Volvo e a WLTP, padrão de medição de consumo da Europa. A autonomia é razoável, mas confesso que sempre que ando em um carro elétrico me vem o chamado range anxiety, de ver toda hora quanto ainda tem de bateria e se dá para chegar ao lugar tal... Ainda mais pelo fato de que meu prédio não tem tomadas ou afins... Para os reais clientes, essa ansiedade não será um problema. Quem comprar o elétrico ganha WallBox (e a instalação). Com a bateria de 78 kWh, o SUV leva, em média, nove horas para carregar completamente nessas estações próprias ou em shoppings e mercados. Porém, o modelo tem suporte para cargas de até 150 kWh, o que daria para atingir 80% de bateria em 40 minutos. Nessa porcentagem, a marca sueca estima que dê para rodar 334 km. A particularidade é que há poucas estações desse tipo no Brasil. Outro “porém” é viajar. Grande parte da malha está localizada no Sul/Sudeste e tem baixa potência. Há algumas estações de 50 kWh em localizações estratégicas, o que daria para carregar 80% em pouco mais de duas horas. A Volvo afirma que já instalou mais de 700 pontos de recarga e que, até o final deste ano, serão mil. Toda a energia vai para as baterias alocadas no assoalho e envoltas no que a Volvo chama “gaiola de proteção”, feita de alumínio e embutida na plataforma. Além de contribuir para baixar o centro de gravidade, cria uma zona de dissipação de energia para casos de colisão. Para compensar a falta do motor a combustão na dianteira, os engenheiros reforçaram a seção frontal do SUV para atender aos padrões de segurança inerentes à marca. Sobrou espaço para um compartimento dianteiro de 31 litros. Como identificar o XC40 elétrico nas ruas? Por fora, há uma simples dica: olhe a grade dianteira praticamente selada — como não é preciso ter refrigeração para o motor, ela diminui o coeficiente aerodinâmico e ainda aumenta a autonomia. Por dentro, é mais fácil. A começar pelo botão de partida, claro, mas também pelo novo painel de instrumentos digital, que traz bastante informação, mas poderia ter comandos mais intuitivos pelo volante. Leva um tempinho para você achar o que realmente deseja — o que não acontece no multimídia Sensus com tela vertical de 9", onde é (bem) mais fácil localizar o que se busca. A central, por sua vez, estreia o sistema Android Automotive. Os usuários têm à disposição o Google Maps e o Google Assistant, que permite executar funções do carro pelos comandos de voz, como controlar a temperatura do ar-condicionado, definir um destino, tocar músicas em apps como Spotify e enviar mensagens. E o SUV, claro, traz todos os itens de segurança inerentes à marca. São exemplos o Pilot Assist, controle de cruzeiro adaptativo que ainda mantém o carro dentro da faixa de rodagem e faz pequenas curvas, e o City Safety, que detecta veículos, pedestres, ciclistas e animais grandes, além de monitorar veículos na parte traseira e detectar pontos cegos. O XC40 faz parte de outra estratégia da Volvo Brasil, de vender somente veículos eletrificados no país (a marca já detém 40% desse mercado atualmente). E o timing da estreia do primeiro elétrico não poderia ser melhor, já que o SUV não tem concorrentes diretos em preço nem em porte. Audi Q4 e-tron e Mercedes-Benz EQA devem demorar a estrear em solo nacional. E a Volvo não vai parar por aí. O segundo carro movido somente por baterias está previsto para aterrissar no Brasil logo no início de 2022. É a variante cupê do XC40, o inédito C40. Os suecos sabem exatamente o que serão e onde estarão daqui a dez anos. E você? Fonte: Auto Esporte
Ler mais
09/03/2021
Volvo fabricará apenas carros elétricos a partir de 2030 com vendas on-line
A Volvo fabricará apenas carros elétricos em 2030 e as vendas acontecerão somente pela internet, anunciou nesta terça-feira a montadora sueca, que também confirmou à AFP que metade do objetivo será alcançado em quatro anos. “Todos os nossos veículos elétricos serão vendidos apenas pela internet”, declarou à AFP o CEO da Volvo Cars, Håkan Samuelsson. “Em 2025, metade de nossos carros serão elétricos e metade de nossas vendas acontecerão on-line”, completou. A Volvo, subsidiária do grupo chinês Geely, acelerará o processo a eletrificação de seus modelos e planeja “retirar de catálogo todos os seus modelos de combustão, incluindo os híbridos”, informou a montadora em um comunicado. Volvo apresentará nesta terça-feira seu segundo modelo 100% elétrico, o SUV C40, e prepara um pequeno modelo elétrico pensado para as estradas europeias. A empresa também quer revolucionar seus canais de venda. “As pessoas podem ficar irritadas com a falta de transparência nos preços. O preocesso de compra continua sendo muito complicado, assim vamos simplificar o menu, com preços fixos em cada país”, disse Håkan Samuelsson. A Volvo resistiu a um 2020 dramático para a indústria do automóvel, com uma queda global das vendas de 6%, a 661.713 veículos. Fonte: Isto É
Ler mais
08/02/2021
Volvo XC60 2021 híbrido agora é sustentável também no acabamento
Conhecida por ser uma vanguardista em termos de segurança, a Volvo continua apostando em outras frentes na dianteira dos demais nomes do mercado. A empresa, que a partir deste ano só terá veículos híbridos à venda no País, também apostou na limitação da velocidade máxima dos seus veículos em 180 km/h, que já começou, mas ainda não está completa - o próprio XC60 T8 que vai aos 230 km/h é uma prova disso. Agora, é a vez de associar toda a pegada sustentável de um carro híbrido com um interior que faça jus ao restante. É por isso que na versão de topo T8 Inscription do SUV médio XC60 a marca passa a oferecer uma opção de revestimento interno sustentável.   Volvo XC60 T8 Inscription A Volvo fez como ninguém a "normalização" dos carros híbridos, especialmente os Plug-in, como o XC60 T8. Esse tipo de configuração, com baterias maiores e que é carregada na tomada faz mais sentido. Inclusive que os híbridos com menor autonomia elétrica por só carregar via frenagem ou motor a combustão. Ter a tecnologia difundida e criar mais um chamariz para quem é ecologicamente correto com o novo interior só reforça o caminho em que a marca sueca está trilhando seu futuro, sem deixar de lado o desempenho ou a tecnologia. Acabamento Esse tecido usado nos bancos é uma mescla de 30% lá e 70% poliéster, sendo que esse último componente é oriundo da reciclagem de garrafas plásticas PET. Como opção ao interior de couro que povoa os carros de luxo, o novo acabamento dos bancos agrada tanto o toque quanto o visual e tem um padrão de xadrez no fundo. Mas o primeiro pensamento negativo em relação ao revestimento é quão fácil deve ser sujar essa tonalidade clara por qualquer desleixo. Equipamentos Além da proposta de "luxo sustentável", o XC60 também tem detalhes de pura opulência, como a manopla de câmbio de cristal sueco, item que já estava disponível também no irmão maior, o XC90. No mais, todo o bom acabamento interior já é conhecido, bem como a lista de equipamentos. Entre os itens de série há central multimídia vertical de 9 polegadas e integração com Android Auto e Apple CarPlay. O sistema de som tem 10 alto-falantes e o painel é do tipo virtual. Há sete air bags, os práticos assentos infantis integrados no banco traseiro e uma infinidade de dispositivos eletrônicos focados na segurança. Entre eles estão a frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres, alertas de saída da faixa de rodagem, de colisão frontal e de ponto cego. Há os assistentes de partida em rampa e descida em aclive e controle de velocidade adaptativo com função de direção semiautônoma a até 130 km/h.   Motor híbrido é também potente O conjunto motriz do XC60 T8 é formado pelo motor 2.0 turbo de 320 cv com um elétrico de 87 cv, combinados eles rendem 407 cv. O torque total é de 65,2 mkgf. O câmbio é o automático de oito marchas. A bateria de íons de lítio pode ser recarregada por meio de uma tomada convencional ou em pontos públicos de recarga rápida. Graças ao motor elétrico, o XC60 T8 pode ir de um tranquilo carro elétrico no modo "Pure" a um canhão no modo "Power". No meio há o modo Hybrid, mescla o uso do motor elétrico com o propulsor a combustão, conforme a demanda. Uma mudança no modo elétrico Pure é que antes quando se pisava no acelerador forte, ele entendia que o motorista queria mais potência e fazia o motor a combustão entrar automaticamente, agora ele mantém a resposta apenas no elétrico. Espaço interno Em termos de espaço, o Volvo leva bem quatro adultos. O quinto ocupante fica aperta pelo túnel central elevado e largo, mas apesar disso, o espaço para os ombros e dos joelhos para o banco da frente ainda é bom. A ergonomia interna também agrada ao motorista e a posição de encontrar é fácil, bem como o conforto dos bancos é exemplar em longos trechos. A direção com assistência elétrica do XC60 T8 peca em não ter uma calibragem mais refinada, que transmita ao motorista de forma mais direta o que ocorre durante a condução. As suspensões são boas, desde que o piso seja "padrão europeu". Como não é o caso do Brasil, na maioria das vezes, se o piso for muito irregular as suspensões sofrem um pouco mais. Fonte: Uol
Ler mais
04/01/2021
Volvo prepara lançamento de novo carro elétrico
A Volvo já prepara o terreno para seu novo carro elétrico, previsto para o início de 2021. Embora não seja mais barato que seu antecessor, o XC40 Recharge, o veículo seguirá como parte da família “Recharge”. A montadora planeja usar a marca para uma linha completa de carros elétricos. Em 2014, a chegada do Volvo Drive-E marcou uma mudança significativa para a montadora sueca. Em vez de uma variedade de motores de quatro e seis cilindros, a empresa passou a se concentrar em um único motor de quatro cilindros em linha a gasolina. Isso então seria turboalimentado e, em alguns, casos chegaria à potência de um V6. A Volvo segue essa estratégia até hoje, incluindo eletrificar o motor a gás para torná-lo um híbrido plug-in. A chegada da Recharge no fim de 2019, entretanto, começou uma nova fase de transição. Estreando com o crossover XC40 Recharge 2021 totalmente elétrico, que chegará às lojas dos EUA no começo do ano, a Volvo passará a abranger uma ampla gama de veículos elétricos em várias plataformas. O segundo integrante da família Recharge está confirmado para o próximo dia 2 de março. A Volvo se comprometeu a lançar um novo carro elétrico por ano até 2025. O novo Recharge compartilhará o mesmo CMA (arquitetura de módulo compacto) que seu antecessor – e que o XC40 convencional -, conforme confirmou a empresa ao Automotive News. No entanto, segundo o CEO Hakan Samuelsson, ele terá uma “carroceria mais aerodinâmica” do que o SUV subcompacto. O que o novo veículo não terá é a mesma marca de pneus do antigo V40. Descontinuado em 2019, o V40 era um hatch menor do que o oferecido pela Volvo nos EUA, mas vendido apenas na Europa. Substituí-lo por um elétrico não faz sentido financeiro para a empresa, de acordo com Samuelsson. Em vez disso, a Volvo pode se inspirar na Polestar, sua marca própria para carros elétricos. O Polestar 2 usa a mesma plataforma CMA eletrificada do XC40 Recharge, mas com corpo mais baixo e elegante. Além disso, ele é mais rápido e tem maior alcance. Ainda não se sabe exatamente o valor do novo modelo. Entretanto, podemos tomar como base o XC40 Recharge, que custa US$ 53.900, e o Polestar 2, que sai por US$ 59.900. É provável que o valor do novo Recharge seja próximo a isso. Fonte: Olhar Digital
Ler mais
10/11/2020
Volvo Cars investe no desenvolvimento de motores elétricos
A Volvo Cars inaugurou na terça-feira, 3, seu novo laboratório de motores elétricos localizado em Xangai, na China. A instalação faz parte de um grande investimento da montadora no desenvolvimento de motores elétricos próprios, que deverão ser utilizados na próxima geração de automóveis da marca sueca – que segue com o plano de que até 2025 a metade de suas vendas sejam de veículos totalmente elétricos e os 50% restantes de híbridos. O novo local de pesquisas se junta ao desenvolvimento contínuo de motores elétricos e aos laboratórios de baterias de última geração na China e na Suécia. Investir no desenvolvimento próprio de motores elétricos vai permitir que os engenheiros da Volvo Cars consigam resultados ainda melhores de seus propulsores e de toda a transmissão elétrica nos novos veículos da marca, permitindo obter mais ganhos em termos de eficiência energética e de desempenho. “Por meio do design e do desenvolvimento internos, podemos ajustar nossos motores elétricos para níveis cada vez melhores”, afirmou Henrik Green, diretor de tecnologia da Volvo Cars. “Ao melhorar constantemente seus níveis gerais de desempenho em termos de eficiência energética e conforto, criamos uma experiência de direção elétrica única para a Volvo”, completou. Embora tenha sido inaugurado no início de novembro, o novo laboratório tornou-se operacional em outubro, e vai ser utilizado principalmente no desenvolvimento dos motores que equiparão os futuros veículos totalmente elétricos e híbridos, a serem desenvolvidos sobre a plataforma modular SPA 2 (que vai suceder a SPA usada atualmente) da Volvo Cars. Fonte: Automotive Business
Ler mais
09/10/2020
Volvo XC40 Hybrid dá os primeiros passos para os carros elétricos
Enquanto carros puramente elétricos vão chegando aos poucos ao Brasil e enfrentando uma certa desconfiança de quem está acostumado a abastecer seus veículos com gasolina, a Volvo investe pesado nos híbridos plug-ins. O Agora testou o utilitário esportivo XC40 T5 Hybrid e ele funciona da seguinte maneira: com as baterias carregadas, ele pode rodar até cerca de 50 km consumindo somente eletricidade. A potência dele equivale a 82 cv de potência e bons 16,3 kgfm de torque assim que o motorista toca o acelerador. Não precisa subir o giro para ganhar força como em um carro a gasolina. Mas há também um 1.5 a gasolina de três cilindros turbo que rende 180 cv e 27 kgfm de força. Combinados, chega a 262 cv e 43,6 kgfm. O motor a gasolina é acionado quando a bateria do elétrico acaba ou quando o motorista precisa de mais potência. Eles podem funcionar juntos, dando um desempenho de carro esportivo para o SUV. A bateria pode ser carregada pelo próprio motor a gasolina, pela força das frenagens ou na tomada. Na cidade de São Paulo há diversos pontos de abastecimento espalhados. A Volvo também vende um carregador para instalação na casa ou no prédio do proprietário. Durante o teste, o XC40 Hybrid chegou a fazer quase 30 km/l com poucos acionamentos do 1.5 turbo. Com a bateria zerada propositalmente, o consumo de combustível aumento para cerca de 11,5 km/l com uso direto, marca ainda boa para um utilitário de luxo compacto. Ele ainda oferece direção semi-autônoma. Em rodovia bem sinalizada, é possível programar o carro para ficar na faixa de rolagem na velocidade programada. Ele freia, acelera e vira o volante, mas o motorista precisa ficar o tempo todo com as duas mãos na direção para o sistema não desativar. O preço para ter um Volvo com motor elétrico ainda é alto. Ele é vendido somente na versão topo de linha R-Line por R$ 264.950. A meta da marca é ambiciosa, que é chegar a 50% de suas vendas somente com carros elétricos até 2025. Enquanto isso, o primeiro passo está sendo dado com versões híbridas de todos os modelos oferecidos no Brasil, como o XC40. Fonte: Agora
Ler mais
10/09/2020
Volvo XC40 Plug-In R-Design alia estilo, performance e eficiência
O Volvo XC40 Plug-In Hybrid, oferecido aqui apenas na versão R-Design, é a proposta de eficiência energética da Volvo, mas não é a definitiva, esta é a Recharge do XC40. O menor dos SUVs da Volvo traz um pequeno motor 1.5 de três cilindros, combinado com um motor elétrico e ainda câmbio de dupla embreagem, entregando 262 cavalos. A promessa é de uma boa média de consumo, ainda mais por ser plug-in, no entanto, o resultado ficou bem parecido com o do Toyota Corolla Hybrid, por exemplo. A vantagem está na propulsão elétrica e no baixo custo de carregamento, já que ela tem o tamanho suficiente para poucos quilômetros. Bem equipado, o Volvo XC40 Plug-In Hybrid R-Design tem visual esportivo e desempenho correspondente, custando R$ 245.950, sendo o topo de linha da gama. Por fora… Visual mais esportivo por causa da versão R-Design, o Volvo XC40 PHEV marca sua presença com os faróis full LED dotados do Martelo de Thor como DRL’s. Detalhes em preto brilhante, como grade, retrovisores, teto e colunas, por exemplo, chamam atenção, assim como as belas rodas aro 20 polegadas com pneus 245/45 R18. Podem-se adquirir opcionalmente rodas aro 21 polegadas. O teto solar panorâmico e a antena em formato de barbatana também fazem parte. Na traseira, as lanternas em LED, envolvem-se junto à tampa e colunas C que, aliás, são bem largas e forçam a impressão de segurança e robustez. Por dentro… O ambiente do XC40 R-Design é todo escurecido e traz assentos de couro com camurça, tendo costuras brancas. O painel vem com aplicação de alumínio texturizado. O volante em couro tem a mesma costura e base em alumínio, tendo ainda paddle shifts no mesmo material. Já a alavanca de câmbio é revestida em couro e alumínio. Com cluster digital de 12,3 polegadas e 4 estilos de grafismos, o Volvo XC40 R-Design tem conta-giros apenas no modo Power. Aliás, ele também tem os modos Pure, Hybrid, Off-Road e Individual. A multimídia Sensus vem com navegador GPS, Android Auto e CarPlay, câmera de ré e sistema de som Harman Kardon com 660 watts e 13 alto-falantes, com função de graves intensificados. Em sua tela de 9 polegadas, a Sensus vem com configurações de todas as funcionalidades do carro, e seleciona os modos de condução, bem como configurações do cluster e apresentação como um tablet. Os bancos possuem ajustes elétricos com 2 memórias para o motorista, mas a extensão do assento é manual. Já o ar condicionado é dual zone e tem monitoramento de qualidade do ar. Atrás, o espaço é mediano e o banco bipartido tem encosto bem vertical, mas vem com apoio de braço com porta-copos. Existem saídas de ar condicionado e luzes de leitura em LED, além da abertura do vidro para o ambiente todo. Já o porta-malas tem 460 litros e bom espaço, com o cabo de recarga sob o assoalho. Por ruas e estradas… O Volvo XC40 Plug-In Hybrid R-Design tem uma proposta de eficiência energética, porém, seu desempenho também é de esportivo. Equipado com motor 1.5 de três cilindros com turbo e injeção direta, que entrega 180 cavalos a 5.800 rpm e 26,5 kgfm a 1.500 rpm, ele tem um som que parece com o do ciclo diesel. Além dele, o XC40 híbrido leva ainda um motor elétrico de 82 cavalos e 16,3 kgfm, montado dentro da caixa de transmissão automatizada de dupla embreagem e sete marchas. No caso do XC40 PHEV, sua tração é totalmente dianteira. Esse conjunto híbrido é ainda alimentado por uma bateria de lítio de 10,7 kWh. O SUV “compacto” se inicia silenciosamente no modo Hybrid, que é onde a coisa toda acontece mais eficientemente no dia a dia. Com a bateria cheia, o propulsor só entra se o carro for muito exigido. Se não quiser usar essa energia, basta bloquear na central Sensus para poder usar o carro no modo Pure.   Tendo impulso extra da eletricidade, o XC40 tem saídas bem rápidas e surpreende, ainda mais tendo um motorzinho que tem força para fazer a diferença sem a hibridização. No cluster digital, um econômetro indica a recuperação de energia nas desacelerações e frenagens, assim como a faixa de economia e também a de desempenho. É por aí que se tem uma ideia de como andar de forma eficiente com o XC40. Se a opção for usar a energia da bateria unicamente, então, saiba que dá para rodar 48 km. Em realidade, dependendo do condutor, essa autonomia é até um pouco maior, dependendo ainda da topografia e do uso da recuperação de energia. Oficialmente, a Volvo fala em 47 km. Também dá para andar na rodovia usando apenas o motor elétrico de 82 cavalos. Contudo, é na cidade que a bateria dura mais tempo. Quando a autonomia acaba, o 1.5 Drive-E entra. Essa gestão de energia entre Hybrid e Pure precisa ser bem dosada para se obter uma média de consumo boa, pois, o SUV pode ser gastão se o condutor não souber usá-lo. Nem é preciso ir ao modo Power para verificar isso, mas os recursos estão lá para serem usados. Chegamos a fazer 13,4 km/l acumulando carga para bateria. Na média, conseguimos 22,5 km/l na cidade e 20,9 km/l na estrada, usando esses modos. No Power, o XC40 rende todo seu potencial, entregando os 262 cavalos e 43,2 kgfm combinados. Com conta-giros no painel, o Volvo mescla o som do diesel com um zunido típico de motores elétricos e arranca com vigor. Se preferir, você pode mudar as sete marchas manualmente. A intervenção pode ser feitas em todos os modos, mas o ideal – com exceção do Power – é não usá-la para evitar alterações no rendimento. Segundo a marca, o XC40 PHEV vai de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e alcança 205 km/h. Números bons para esse híbrido. Com excelente handling, o XC40 R-Design segura bem nas curvas e tem ótimo controle direcional. A suspensão é firme e os pneus são 245/45 R20, ajudando na aderência.   Tendo pouca rolagem de carroceria, o SUV nórdico se comporta bem. Em pisos irregulares ele sofre um pouco, mas passa a impressão de robustez e filtra boa parte das condições da via. O XC40 tem ainda um modo Off Road, que varia a força entre as rodas dianteiras entre 20 km/h e 40 km/h. Não é sua praia, é verdade, mas ajuda em eventualidades. Existe ainda o modo Individual, onde o condutor escolhe suas preferências tiradas dos modos de condução. Freando de forma imediata, o XC40 se apoia no pacote de segurança da Volvo, o City Safety, sempre pincelando os discos ao menor vacilo do condutor. Mesmo em uma rua onde é necessário ficar desviando de buracos ou carros parados, ele entende que a situação pode ser de risco e aciona os freios com alarme ativado. Isso sem contar os desníveis em juntas de pontes, onde muitas vezes, dependendo da velocidade, o carro fica milésimos de segundo no ar. Nesse caso, o sistema puxa os ocupantes nos cintos instantaneamente, já que entende que pode ser o início de um capotamento. O XC40 se beneficia ainda de belos faróis adaptativos que varrem a frente, projetando seus feixes de luz de LED em locais onde não prejudiquem os demais motoristas. Ele também tem o Pilot Assist, que funciona até 130 km/h, controlando parcialmente a direção. Há também o controle de cruzeiro adaptativo. Até a ré possui frenagem autônoma em caso de veículo vindo em tráfego cruzado. A única ausência sentida em todo esse pacote de segurança é o estacionamento automático. Por você…   O Volvo XC40 Plug-In Hybrid R-Design é um SUV com bom nível tecnológico, só não te entregará tração nas quatro rodas. Com pacote de segurança ativa e passiva de primeira qualidade, como em todo Volvo, ele foca num belo visual esportivo para chamar atenção. O conforto na frente é muito bom, mas mediano atrás. Seu porta-malas é bom e o sistema de recarga que estava a bordo era útil apenas para recarga pública eventual. A Volvo fala em 3 horas num carregador rápido, sendo interessante dado sua autonomia de 48 km. Para o dia a dia urbano, pouca ou nenhuma gasolina será usada. Bom de dirigir, o XC40 híbrido tem uma boa média de consumo e representa o futuro do produto, que na Europa ainda tem duas variantes mais fracas. O preço está dentro do esperado para sua categoria. Só o Toyota RAV4 SX Hybrid já custa R$ 241.990. Então, pouco menos de R$ 4.000 o nórdico aparece com mais eficiência, apesar de ser menor. Fonte: Notícias Automotivas
Ler mais

Anterior
Próximo
1 / 5
Volvo
S.J. dos Campos
Av. Dr. Eduado Cury, 350
Jardim das Colinas - Cep: 12242-001
Volvo
Mogi das Cruzes
Rua Ipiranga, 1252
Centro - CEP 08730-000
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso site, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, consulte a nossa política de privacidade.
Saiba mais
Estou de acordo